O que é que Marketing, História e Mercados Financeiros têm em comum?

Assim, à primeira vista, a primeira resposta que lhe pode passar pela cabeça é: pouca coisa. Sim, na verdade, Marketing e as restantes ciências funcionam todas de forma diferente, no entanto, há um ponto comum e fulcral que se destaca em todas elas: A TOMADA DE DECISÃO.

História

Muitas vezes, atribui-se à História um grau de insignificância que, de todo, não é justo. É considerada, frequentemente, como uma fonte irrelevante, sendo utilizado o argumento de que nada importa saber de cor aquilo que se passou no passado da vida humana, dado que já não influencia diretamente as nossas vidas. “Passado é passado”, não é?

Acaba por ser aqui que se distingue se uma decisão é tomada com base no acaso, ou com base em relevância estatística, tendo como sustento os acontecimentos passados.

Um exemplo muito atual e infeliz é a guerra em território ucraniano. Apesar de ser polémica a tomada de decisão no que toca à não participação direta da NATO na guerra, a História e a sua significância podem dizer-nos o contrário. No século passado, por duas vezes, a guerra mundial foi despoletada pela participação ativa de um terceiro interveniente, originando uma cadeia sem fim de crimes de guerra.

Posto isto, parece-nos, pelo menos até ao momento, que a abordagem e a decisão tomada é distinta. Não existe a intervenção direta, no contexto literal de guerra, de um terceiro, em vez disso, aplicam-se sanções que possam prejudicar os considerados culpados.

O objetivo não passa por caracterizar esta tomada de decisão como sábia ou não, apenas demonstrar a razão pela qual ele mudou comparativamente ao passado humano. A relevância estatística, o número de mortos e o volume de crimes de guerra passados demonstram que a decisão passada estava errada.

Ou seja, o melhor que podemos fazer é pelo menos escolher uma diferente, correto?

Mercados Financeiros

Fala-se, frequentemente, em apostar/jogar no mercado bolsista ou no mais recente mercado de criptoativos. O que é certo é que para os maiores investidores de todos os tempos, como Warren Buffet, Peter Linch ou Charlie Munger, este tipo de mecânicas não se foi a causa do seu sucesso.

De uma forma muito breve e generalista, a maioria dos seus investimentos passa e passou pela definição de estratégias a longo prazo (futuro), tendo por base a relevância e comportamento estatísticos das empresas das quais se tornaram acionistas.

Isto tem como objetivo descrever a forma como são tomadas as decisões por quem tendencialmente as toma de forma acertada. Não se trata de um jogo ou de uma aposta, com a vontade de angariar altos rendimentos de hoje para amanhã, mas sim de uma análise cuidada do histórico passado e do comportamento humano das empresas.

A relação com Marketing

Da mesma forma, o Marketing e as suas estratégias adjacentes acabam por ser um conjunto de decisões a ser tomadas de forma constante. Existe, com muita frequência, um pedido de análise, aquando da contratação de profissionais de Marketing, que tem por base a seguinte questão: “Quanto vou ganhar se gastar X euros?”. A resposta, como deve calcular, não é propriamente a mais desejada.

A situação acontece, porque há a necessidade de analisar detalhadamente o histórico digital da empresa em questão, de forma a compreender como esta se comportou no passado. Para além disso, existe sempre a possibilidade de efetuar análises concorrenciais que nos permitam retirar detalhadamente os dados necessários para perceber de que forma, provavelmente, se replicarmos a mesma estratégia, a nossa vai funcionar.

Caso não haja nenhum histórico, a única possibilidade passa por ser, efetivamente, confiar na experiência e expertise de um profissional de Marketing e no seu instinto. A resposta certa aqui é: “Há a necessidade de TESTAR”. Ou seja, é preciso experimentar as estratégias, apalpando terreno, para que seja possível, a longo prazo, tomar ótimas decisões, com resultados diferenciados para a sua empresa!

Disclaimer final: Este texto foi produzido com base em opiniões pessoais, tendo por base factos reais, caso alguém esteja incumbido da missão de julgar a weTURN.ON. 😎

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *